Mitos e Verdades: Carboxiterapia


Ano passado, eu trabalhava na MTV e fiquei sabendo que apresentaria um programa de verão, no Rio de Janeiro. Assim que recebi a notícia, tive um surto mulherzinha e comecei a pensar em todas as implicações disso.

Um programa de tv, na praia, durante o verão, no Rio de Janeiro, além da parte divertida e de muito trabalho, significava estar com o corpo em dia para poder aparecer na tv biquíni. Aí começaram aquelas preocupações: será que eu tô gorda? Será que vão ver minhas celulites? E todo aquele blá blá blá feminino que todos conhecemos muito bem.

Pois bem, pensando nisso, uns dois meses antes intensifiquei minhas idas à academia. Mas, percebi que algumas gordurinhas eram insistentes e que não iam desistir desse corpo com tanta facilidade. Era preciso apelar.

Foi aí que procurei uma clínica de estética, com o intuito de conhecer os tratamentos disponíveis e, quem sabe, fazer algum deles. Fui até uma franquia da Onodera, onde uma moça muito simpática me mostrou todos os tratamentos pra redução de gordura que você possa imaginar. E, tanto pelo preço quanto pelos resultados prometidos, optei por combinar Drenagem Linfática (falo disso em outro post) e Carboxiterapia.

Para quem não conhece, a carboxiterapia é um tratamento estético que utiliza injeções de gás carbônico sob a pele, com o intuito de “quebrar” as células de gordura. O gás estimula a circulação e a oxigenação dos tecidos. Fiz 8 das 10 sessões que comprei e posso te esclarecer algumas dúvidas. Vamos lá:

- É caro?

Depende do que você considera caro. Não lembro qual foi o valor exato, mas consultando a fatura do cartão de crédito, deu pra ver que as 10 sessões saíram por mais ou menos uns R$1200. Achei meio caro, mas, como falei no início do post: era preciso apelar.

- É indicado para quem?

Para pessoas com gordura localizada, celulite e estrias, ou seja, pra quase todos os mortais.

- Como é o procedimento?

Você escolhe as áreas em que quer localizar o tratamento. Por exemplo, as partes que mais me incomodavam eram pernas e glúteos, então, pedi para que o tratamento fosse localizado nessas áreas.

As injeções devem ser aplicadas por um médico dermatologista, com agulhas super finas (tipo de insulina). As agulhas ficam ligadas à uma máquina que “sopra” gás carbônico e aplicadas diretamente nas áreas que mais te incomodam. Ou seja, quanto mais celulite você tiver, mais agulhadas vai levar.

- E dói?

Dói pra cacete, pode apostar. Parece que seu corpo é um balão que estão enchendo de ar. E algumas áreas ficam com uma mancha roxa depois.

- Funciona?

Realmente funcionou por um tempo. Mas é claro que foi combinado com muita academia e uma dieta que não envolvia doces, frituras e refrigerantes. Fiz o tratamento localizado nos glúteos, culote e parte posterior das coxas. Por alguns meses senti essas áreas mais “lisas”.

___________________________________________________________

Bom, respondido isso, preciso explicar o que aconteceu comigo para que eu fizesse apenas 8 sessões das 10 que comprei.

Depois de comprar, ir lá, fazer tudo direitinho, morrer de dor e até achar o resultado legal, comecei a sentir umas pontadas nas costas. Era um dor profunda, que parecia proveniente de um simples mau jeito.

Consultei um médico, que, sem fazer qualquer exame, me deu um anti-inflamatório, um analgésico e me mandou pra casa. Depois de uma semana, eu continuava com fortes dores, o negócio tava tão feio que eu não conseguia nem dormir direito e CHORAVA de dor (acho que isso não acontecia desde que eu era criança). Isso, combinado à uma sensação de peito apertado, tipo asma.

Voltei ao hospital e, dessa vez consultei uma outra médica, que fez todos os exames possíveis. Não tinha nada errado com a minha coluna, mas o exame de sangue estava com uma pequena alteração. Ela me encaminhou para uma tomografia e o diagnóstico foi: EMBOLIA PULMONAR. Ou seja, um coágulo de sangue se formou no meu organismo e foi parar no meu pulmão. Isso estava causando dores e dificuldade pra respirar. Resultado: 10 dias de molho no hospital.

Mas aí você me pergunta: o que isso tem a ver com a carboxiterapia? É que há uma pequena chance de o gás carbônico atingir um vaso, o que pode gerar um coágulo, que fica viajando pelo seu corpinho e pode parar em algum órgão vital.

Até hoje, tenho dúvidas sobre o que causou essa embolia. Alguns médicos me disseram que foi culpa do anticoncepcional, que eu já usava há 4 anos, outros disseram que a causa foi a carboxiterapia combinada com a drenagem linfática, o que pode provocar a formação do coágulo e seu deslocamento para um órgão. Ninguém chegou a um consenso, mas, por via das dúvidas, resolvi cortar as sessões.

E foi isso. Aconteceu assim comigo, mas não significa que vai acontecer o mesmo com você. Por via das dúvidas, procure sempre um médico e busque toda informação possível sobre o tratamento que for realizar.

Comentários: